Cocaína e Crack

LENAD_2

Em publicação recente da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil foi apontado como uma das nações emergentes onde o consumo de estimulantes como a cocaína – seja na forma intranasal (“pó”) ou fumada (crack, merla ou oxi) – está aumentando enquanto na maioria dos países o consumo está diminuindo.

Embora a sociedade brasileira esteja ciente deste importante problema de saúde pública, seu conhecimento acerca dos padrões de consumo, da dependência, bem como dos problemas associados ao uso de cocaína, ainda são incipientes.

Com o intuito de trazer informações abrangentes e relevantes acerca do consumo dessa substância, o Segundo Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (LENAD) investigou pela primeira vez em uma amostra representativa da população brasileira o padrão de uso e dependência de cocaína utilizada pela via intranasal (aspirada ou “cheirada”) e pela via pulmonar (“fumada”).